Leitura do Livro de Baruc (Bar 5, 1-9)

Ideia principal: O Advento é para abrir e fazer caminho; e ajudar os outros a caminhar!

– O Livro de Baruc é um dos 7 Livros Deuterocanónicos, do qual apenas se conhece a versão grega. Geralmente considera-se que Baruc terá sido secretário do Profeta Jeremias e admite-se que foi escrito durante o exílio da Babilónia, informações que muitos estudiosos têm por pouco consistentes, defendendo a hipótese de ser um texto escrito durante o séc. II a.C., na diáspora judaica.

– A verdade é que Baruc canta esplendorosamente a cidade de Jerusalém, a Esposa de Deus e Mãe da multidão dos Seus filhos, que regressam festivamente a casa, livres e felizes, saídos de todas as opressões, de todos os exílios, de todas as orfandades, porque o tempo de luto terminou; Deus perdoou a Jerusalém todas as suas faltas e quer devolver-lhe a vida e a esperança.

– Jerusalém, a Esposa e Mãe, recebe nomes novos que indicam a sua nova realidade. Chamar-se-á «paz da justiça», uma paz que não resulta da opressão com regras, mas da justiça; e «glória da piedade», porque a sua fama não advém da força das armas ou das negociações políticas, mas da fidelidade a Jahwéh.

Rezar a Palavra e contemplar o Mistério

Deus da alegria, da justiça e da paz… Deus fiel! Dou-te graças pela infinita paciência com que preparaste, ao longo dos séculos, o envio do Teu Filho para o meio de nós. Dou-te graças pela Palavra dos Profetas, de Baruc e de todos, até João Baptista. Dou-te graça pela paciência com que vais aplanando o caminho que devo percorrer, de forma a poder caminhar, com os meus irmãos, ao encontro de Jesus. Amem.

LEITURA I – Bar 5,1-9

Jerusalém, deixa a tua veste de luto e aflição
e reveste para sempre a beleza da glória que vem de Deus.
Cobre-te com o manto da justiça que vem de Deus
e coloca sobre a cabeça o diadema da glória do Eterno.
Deus vai mostrar o teu esplendor a toda a criatura que há debaixo do céu;
Deus te dará para sempre este nome: «Paz da justiça e glória da piedade».
Levanta-te, Jerusalém, sobe ao alto e olha para o Oriente:
vê os teus filhos reunidos desde o Poente ao Nascente,
por ordem do Deus Santo, felizes por Deus Se ter lembrado deles.
Tinham-te deixado, caminhando a pé, levados pelos inimigos;
mas agora é Deus que os reconduz a ti, trazidos em triunfo, como filhos de reis.
Deus decidiu abater todos os altos montes e as colinas seculares
e encher os vales, para se aplanar a terra,
a fim de que Israel possa caminhar em segurança, na glória de Deus.
Também os bosques e todas as árvores aromáticas
darão sombra a Israel, por ordem de Deus, porque Deus conduzirá Israel na alegria,
à luz da sua glória, com a misericórdia e a justiça que d’Ele procedem. 

À Quinta-Feira, das 19h às 20h: “Lectio Divina”.
Venha reflectir e rezar o Evangelho do Domingo seguinte.
Estamos na Basílica, na sala ao lado do Acolhimento.